DE ARMA EM PUNHO EM 2018

O Brasil atual, a grande maioria já não quer mais. Mas não é suficiente não querer. É preciso trazer a existência o Brasil que se quer ter. E a oportunidade de realizar este sonho está chegando e bate às portas. Por isto, os brasileiros precisam entrar 2018 de arma em punho. Sim, é preciso armar-se para mudar. Armar-se, é claro, não de armas de destruição em massa, mas sim de arma de construção em massa. Existe uma arma que constrói ao invés de destruir, e que quando constrói afasta o que existe de pior. A arma mais poderosa para construir é o conhecimento, que uma vez corretamente empunhada mata a ignorância, a escravizadora do desenvolvimento. Pessoas desarmadas de conhecimento são assaltadas com facilidade, e isto tem ocorrido ao longo do tempo em nosso País justamente no período eleitoral. Do ignorante o voto é surrupiado com facilidade. Isto precisa acabar. O brasileiro deve conhecer a função e a importância do senador e do deputado federal para não votar em qualquer um, sob o risco das coisas continuarem do jeito que sempre foram. E convenhamos, a maior parte da população votante não sabe o que faz o político eleito, ignora a função do parlamentar, desconhece quantos são os senadores e os deputados federais e o que eles representam, menos ainda entendem o significado da expressão Congresso Nacional. Em razão isto, na eleição “confirmar” errado é uma grande possibilidade. Se o Brasil votar mal em 2018, o que foi feito de bom nos últimos anos, notadamente pela operação Lava Jato, poderá ser seriamente comprometido. Portanto, espalhar o conhecimento para votar bem é coisa vital e poderá ser feito nas próprias empresas onde o eleitor está trabalhando. Que tal a empresa doar 30 minutos para o Brasil? Sim, esse tempo é suficiente para esclarecer os integrantes do quadro funcional sobre o que é o mandato político, tornando-o um cidadão mais politizado. Se isto começar hoje –e pessoalmente já comecei –quando 2018 chegar a arma contra os ladrões do voto ignorante estará ativa. Portanto, não basta dizer que está ruim. É necessário preparar para ficar melhor. Afinal, lamentar não é ação, mas somente constatação, e lamento sem atitude não leva ninguém a lugar nenhum.

Esta ideia, compartilhada com alguns amigos empresários de Maringá (PR), foi aceita e em breve faremos palestras em suas empresas para que o conhecimento chegue a tempo de todos se prepararem para um dos atos mais responsáveis da democracia, a saber, o voto. Assim, doo meu tempo e conhecimento para o Brasil que sonhamos. Não interessa o tamanho de sua empresa, se você deseja que ela tenha prosperidade, e que não seja destruída por um Estado mal administrado, dê aos que fazem parte dela conhecimento suficiente para elegerem bem.

Lutero de Paiva Pereira – Advogado ([email protected])